top of page
  • Writer's pictureRui Marques

Escola de Kafar Zahad, Líbano

A imagem mais marcante deste dia guardo-a da Escola de Kafar Zahad , mesmo colada à Siria. Nestes dias em que a Europa se inflama no aprofundamento do "choque de civilizações" , depois dos atentados de Paris onde se está a confundir tanta coisa e que por aqui também se choram os mortos do atentado em Beirute, encontro o "impossível" . Uma escola, com 130 crianças refugiadas sírias, todas elas muçulmanas, num projeto de uma ONG católica (JRS), a funcionar no rés-do-chão de uma mesquita. Por aqui respira-se o que o mundo tanto precisa: diálogo e encontro de pessoas enquanto tais, para lá dos rótulos religiosos ou étnicos. A diretora (muçulmana) explica-nos os desafios de cuidar destas crianças, a par com o diretor de projetos desta região (ortodoxo). Até parece fácil. E, na verdade, se quisermos, pode ser. A capacidade de criar pontes num momento em que muitos parecem apostados em as destruir é uma missão vital. Vir à fronteira da Síria para encontrar estes pontífices foi um momento único. Se mesmo no sítio onde é mais difícil, é possível, que esperamos nós por seguir esse caminho? Só dessa forma o mundo reencontrará a paz.


Comentarios


bottom of page