top of page
  • Writer's pictureRui Marques

O doce encanto do Hotel Marigold

Não é fácil encontrar filmes que juntem bom gosto, humor, humanismo, grandes atores e uma mensagem de esperança. O Hotel Marigold consegue-o. Por isso, num destes dias, veja ou reveja estes dois filmes, salpicados de esperança e de coisas bonitas.


Esta sugestão não está alinhada com o que acaba de sair para as telas dos cinemas ou para as plataformas de streaming, nem com a avaliação dos habituais críticas. Têm já dez anos mas não perderam a frescura.


Numa destas noites regressas a este filão - Hotel Marigold - para ver o segundo filme e não me arrependi. Não é fácil ter filmes assim. Primeiro destaco a sua leveza e esperança. Não teme ter um olhar positivo sobre um dos tempos mais desafiantes da vida humana: o nosso Outono. A forma como o trata, com dignidade e graça, no qual todas as fragilidades próprias dessa fase - do esquecimento à baixa auto-estima, da casmurrice à insegurança - é muito ternurenta e faz-nos bem.


Claro que beneficia de grandes atores, como Judi Dench (a senhora M, da saga 007), Maggie Smith (que brilhou em Downtow Abbey) ou Dey Patel (o sempre frenético ator do "Quem quer ser milionário"), entre outros, e de um ambiente sempre especial que a India proporciona. Sem querer ser mais do que é, estes são filmes que vale a pena (re)ver.


Nestes tempos cheios de nuvens negras, este bem pode ser um programa de abrir sorrisos num dos próximos fins de semana.




Comments


bottom of page