top of page
  • Writer's pictureRui Marques

Por que são os rituais tão importantes?

Estamos a terminar uma época forte em rituais e símbolos. O Natal talvez seja, de todos os marcos do calendário, a mais expressiva manifestação de rituais e símbolos, embora muitos deles, por uma ou outra razão, se vão perdendo. Mas não podemos deixar erodir esta dimensão essencial de ser/estar em comunidade.


Vem muito a propósito lembrar o poder dos rituais e da sua importância fundamental para uma vida em comunidade. A revista espanhola Filosofia & Co. publicou há algum tempo um interessante artigo a este propósito. Inspirado pelo livro “Do desaparecimento dos rituais” de Byung-Chui Han, que se refere a este fenómeno como uma patologia do presente, lembra que os rituais são ações simbólicas que unem os indivíduos sem necessidade de mediação pela palavra (Comunidade sem comunicação), cumprindo uma função de coesão, que mantem unida uma sociedade.


Na nossa experiência, por exemplo com a Academia de Líderes Ubuntu, damos enorme importância à dimensão simbólica e à expressão ritual de alguns gestos que, como dizia Bourdieu, representam um sistema “estruturado e estruturante”. Por exemplo, a forma como se dá relevo, na fase final da Semana Ubuntu, ao ritual da entrega das t-shirts 466/64, símbolo de que cada um/a é herdeiro do legado de Mandela, ou a foto do Circulo Ubuntu, ou ainda o momento do discurso “I have a dream” mostra bem a importância que atribuímos a esta dimensão.


Para 2023, deixo o desafio que cada um de nós recupere e valorize a dimensão simbólica, particularmente nos momentos de rituais de celebração, em que os pequenos grandes gestos podem fazer toda a diferença.

Comentarios


bottom of page