top of page
  • Writer's pictureRui Marques

Temos sempre a Poesia...


É uma das melhores companhias de férias. Será sempre uma ótima oportunidade para regressar a uma paixão antiga, ou uma ocasião imperdível para quem acha que não gosta possa aprender o sabor dos versos que nos surpreendem.


Não nos falta por onde escolher. Felizmente, há poesia para todos os gostos e para todos os tempos. Escolhas acertadas ajudam-nos a saborear melhor esse mergulho e satisfazem essa nossa inquietude de palavras especiais. Deixo-vos duas sugestões.


Ninguém estranhará, que sendo eu um apaixonado por Timor, me reveja num dos poetas que viveu melhor a identidade timorense: Ruy Cinatti. Está disponível o volume I, da sua Obra Poética que é de uma beleza inebriante.


Claro que quando se descobre mais sobre o autor por detrás das palavras, mais especial se torna. Um caminho possível é acompanhar essa leitura da Obra Poética por outra abordagem: A condição humana em Ruy Cinatti, de Peter Stilwell.


Se lhe apetecer um outro caminho, pode regressar à videoteca antiga que sempre nos proporciona momentos especiais. O filme “O Carteiro de Pablo Neruda” (que à falta de melhor pode estar disponível aqui) tem a beleza de nos falar do impacto da poesia na alma daqueles que por ela se deixam tocar.


Mais do que sobre Neruda, importa deliciar-se com a experiência ingénua e genuína de Mario Ruoppolo, o carteiro que descobre a magia das metáforas.



Comentários


bottom of page